Dicas para Não se endividar no Cartão de Credito

Uma das grandes facilidades dos tempos atuais é, sem sombra de dúvidas, o cartão de crédito. Ele possibilita crédito fácil, já aprovado, possibilita, ainda, segurança às pessoas uma vez que essas não precisam estar portando dinheiro em espécie e sendo assim correm menos riscos de assaltos.

Poderíamos citar muitas outras vantagens do chamado “dinheiro de plástico” mas o foco em questão é alertar exatamente que tantas vantagens podem levar ao consumo excessivo e deixar os consumidores em grandes dificuldades financeiras.

Para tanto, elaboramos algumas dicas e soluções para manter uma vida financeira saudável, focando principalmente na organização do orçamento do usuário de cartão de crédito e dando dicas em como planejar melhor seus gastos.

O primeiro passo é organizar todas as contas em uma planilha, evidenciando as despesas, registrando os tipos de gastos e destacando os valores e as datas que eles costumam ocorrer.

O segundo passo é considerado como um dos mais importantes, no qual o consumidor precisa separar e classificar os gastos como fixos, semi-fixos e variáveis. Os fixos são reduzidos somente quando o consumidor interrompe o serviço ou troca de prestador, como por exemplo, a escola dos filhos, o condomínio ou um plano de saúde, os semi-fixos já são aquelas contas que precisam ser pagas todos os meses, mas podem ser controladas, pois variam os valores dependendo do mês, como a conta de luz, de telefone e as compras de supermercados, e por último os variáveis, como lazer e vestuário, que oferecem maior facilidade na hora de economizar.

O consumidor necessita fazer um orçamento periódico, para controlar as receitas e despesas que entram e saem de seu “bolso”, definindo as prioridades e analisando com cuidado antes de consumir. Programar os gastos buscando pagar tudo integralmente, sem se endividar, e principalmente pagar as contas em dia, evitando multas e altos juros. Caso ocorra alguma negociação, é importante quitá-las primeiro, antes de fazer novos compromissos, por isso uma dica para quem deseja evitar o consumo é tentar não andar com cartões de créditos, ou caso possua mais de um, andar com um de cada vez, certamente evitaria gastos.

Outra dica importante seria utilizar qualquer entrada de dinheiro extra, como o décimo terceiro, férias, etc., e aproveitar para sanar suas dívidas em atraso, priorizando sempre por aquela com os juros mais altos, como por exemplo, cartão de crédito ou cheque especial.

Diante de várias ofertas de dinheiro fácil e com possibilidades de compra, é complicado manter um orçamento em dia, portanto o consumidor deve ficar atento aos empréstimos e financiamentos, pois estes podem ser um grande perigo, especialmente se for de longo prazo, o que deve ser evitado.
Assim, os usuário de cartão de crédito devem ficar muito atentos quando forem utilizá-los considerando que a má utilização poderá fazer com que esses se tornem reféns e vítimas de juros superiores a doze por cento ao mês, bem como a prática desenfreada de anatocismo, impingindo à classe trabalhadora que utiliza o cartão praticamente para “saques” em seus orçamentos familiares.

Vale sempre a dica: enrolou-se nos juros, acha que pagou mais que devida, tem notado que sua dívida está só aumentando, procure um advogado, ele poderá sempre lhe fornecer uma boa orientação.

Deixar um comentário