Fórum de Discussão I

Esta área será destina para propositura de tópicos de discussões e comentário.

22 Comentários

Guilherme  em abril 7th, 2011

Comumente a sociedade discute o papel do advogado atuante na defesa de réus que cometeram crimes bárbaros. Hoje, um jovem de 23 anos adentrou em uma escola no Rio de Janeiro e atirou em alunos e funcionários. Caso ele não tivesse morrido na troca de tiros que fora instaurada, qual seria sua visão acerca da defesa deste “réu”? Aplicaria o princípio de que todos tem direto a defesa ou você o considera “indefensável”?

juarez  em abril 7th, 2011

Esse cara é muito doido……vcs leram a carta que ele deixou, estava no yahoo…….Se ele não tivesse morrido eu acho que ele não deveria nem ter um advogado.

Carla  em abril 7th, 2011

Claro que ele não merece nem ser defendido, depois de matar esse monte de gente inocente que estavam estudando ou trabalhando…..ele tinha mesmo é que morrer….e se não morresse, tinha que ter uma prisão perpétua.

Jenildes  em abril 7th, 2011

O que esse sujeito praticou não tem justificativa.
Ele deixou uma carta ridícula, pedindo oração. Creio que somente Deus, que defende a todos poderia ter pena desse infeliz.
Um advogado que tenha família deveria recusar a defesa de um sujeito deste.
Jenildes

Marcos Vinícuis  em abril 7th, 2011

Se ele não tivesse morrido eu mesmo mataria esse capeta…

Marcos Vinicius

Luiz Gustavo  em abril 7th, 2011

Todos tem direito a defesa, indistintamente.

Andrei  em abril 7th, 2011

É claro que ele seria defendido…eu também defenderia…por muito dinheiro…kkkk

Alessandra  em abril 7th, 2011

Todos tem direito a defesa,mas um crime bárbaro como esse não merece ter advogado de defesa. Defender o quê? Quem? Isso é ser humano?

Marcos Vinícuis  em abril 7th, 2011

Alessandra….. se esse “ser humano” fosse seu filho? ainda assim você acharia que ele não mereceria ser defendido?
Marcos Vinicius

Izabell  em abril 8th, 2011

Andrei! você é tão monstro quanto o assassino
Dinheiro não é tudo na vida. Temos que ter valores e a vida é o maior deles.
Izabell

Fernando Louro  em abril 8th, 2011

Para mim é “indefensável” alguém admitir que alguém é “indefensável.
Em vez de se criar uma melhor sociedade, mais justa, mais pacífica, seria uma sociedade mais injusta e mais violenta. Violência em espiral. Seria a cultura do ódio.
Os “bons” não se podem comportar como os “maus”.
Temos de saber distinguir o que é justiça e o que é vingança. E a justiça só se pratica, se não existir vingança.
O princípio de todos termos direito a ser defendidos em Tribunal, é um princípio que enobrece a justiça e os países civilizados.
Para melhor compreendermos este princípio, façamos um exercício “à contrário”. Imaginemos uma sociedade onde alguns criminosos não teriam direito a defesa. Quais? Em que medida? Admitindo isso, onde iríamos parar? Que abusos? Um dia seríamos nós, ou algum dos nossos, a sermos vítimas disso. Mas então já seria tarde demais.
Eu não queria viver numa sociedade assim.
Mas não se confunda isto, com a despenalização dos criminosos. Óbvio que têm de ser julgados, justamente, e punidos, rigorosamente.
Fernando Louro

glaucia guimaraes  em abril 8th, 2011

Na minha opinião não merece defesa, e as vidas perdidas, e o sofrimento desses pais, caso o atirador não tivesse morrido seria prisão perpétua, ou pena de morte.( se houvesse no Brasil.)

Rafael Oliveira  em abril 8th, 2011

Prezados amigos, inobstante a crueldade do crime praticado, fato é que a Constituição Federal prevê expressamente o Amplo Direito de Defesa (Contraditório e Ampla Defesa), tudo como corolário do Estado Democrático de Direito. Logo, a “figura” teria direito a defesa. No mais parabéns aos amigos Guilherme e Marconi pela oportunidade.
Att.
Rafael Oliveira

Pedro Cassimiro de Souza  em abril 8th, 2011

Caros Colegas,

Pela nossa Constituição, o direito de defesa é indispensável por mais bárbaro que seja o crime.Se o acusado não conseguir advogado, o juiz é obrigado a nomear um causídico para defendê-lo.O advogado defensor, em tese, é obrigado a fazer a defesa como se fosse ele próprio o réu, pois é apenas um procurador.No caso aventado, qual seja, se o autor da chacina não tivesse morrido, o advogado, decerto, iria analisar diversas hipóteses, porém a mais provável é a de insanidade mental. O Réu iria a júri, todavia, não se pode condenar ou louco, a ele se aplica medida de segurança.Ficaria em tratamento num nosocômio judicial. Como o crime foi praticado em estado de loucura, caso ele se recuperasse a ponto de não mais colocar em risco a segurança da sociedade, o juiz seria obrigado a colocá-lo em liberdade. Por mais doloroso que seja para todos nós e principalmente para os familiares, posso lhes afirmar que esse seria o desfecho.Veja a situação real: o autor era um psicótico – pessoas que saem da realidade. Isto ocorreu por que a estrutura neuronal dele entrou em desequilíbrio, na prática deixou de ser ser humano, ou seja, não mais tinha consciência dos seus atos, tal como um animal qualquer. Condenar um indivíduo desse à cadeia, é como condenar uma vaca, um cachorro ou uma galinha que comeu o milho do vizinho.Freud explica.Veja, uma coisa é você prender sua galinha para não comer o milho do vizinho – algo racional. Outra coisa é você prender sua galinha por que comeu o milho do vizinho – algo irracional. Na realidade, monstro é quem tacha um sujeito desses de monstro.Ele é apenas uma vítima genética do ser humano, enquanto biológico, que pode ter herdado de até a vigésima geração sua.Enquanto o homem do bisturi não encontrar curar, preventivamente, a sociedade infelizmente vai ter de conviver com essas aberrações.Mas a Carta de Realengo vai ficar nos manuais da psiquiatria do mundo todo, por muito tempo, sob análise de diversas teorias.Os traumas da escola e o fanatismo religioso foram apenas fatores exôgenos desencadeantes.Como evitar esses tristes episódios? No Brasil não há políticas públicas para tais fenômenos e nossas elites não estão preparadas para fazê-las.Poucas, pouquíssimas famílias sabem como evitar essas tragédias. Pedro Cassimiro, Economista, Bacharel em Direito – afeito a Tribunal de Júri, professor e escritor inédito e eclético. Brasília – Lago Sul, 08.04.2011.

manoel  em abril 8th, 2011

Todos têm direito de defesa. Mas ele não comeu o milho do vizinho, o q ele fez foi um crime ediondo, contra crianças indefesas. Eu não defenderia. Se ele tivesse sobrevivido, ajudaria apenas a desvendar talvez as verdadeiras causas, ajudando-nos a tentar evitar q isso se repita com outras pessoas.

Carolina  em abril 8th, 2011

A sociedade tem mania de julgar o advogado que defende um crimiso desse porte, por não entender que todos, por pior que seja o crime praticado, têm direito a defesa. Eu confesso que não defenderia uma pessoa capaz de cometer um crime deste, mas mesmo assim não julgo quem o defenda.

Marconi  em abril 8th, 2011

Primeiramente gostaríamos de agradecer a ilustre visita de um grande amigo, querido por todos, “Paraninfo”, e colocar nosso site a inteira disposição para a publicações de “Post” ou tópico em “Fórum de Discussão”. Att Marconi Campos.

Marconi  em abril 8th, 2011

Não podemos deixar de agradecer a todos que postaram suas opniões, e o convite estende-se aos demais: Quem quiser publicar um “Post” ou criar um tópico em “Forum de Discussão”, será muito bem aceito. Desde já agradecemos a atenção de todos e colocamos este site a serviço de vocês, continuem comentando e visitando.
Att. Marconi Campos

Guilherme  em abril 9th, 2011

Obrigado a todos que participaram e enriqueceram nosso post com seus comentários e opniões. Sem dúvida a visita de vocês enalteceram nosso site, além de fazer cumprir um de nossos objetivos primordiais, qual seja: a interatividade. Estejam sempre a vontade para visitar, postar, comentar, afinal, este espaço é para vocês, agora também, membros da família Campos & Cassini Advocacia.

Abraços,

Guilherme Cassini

Deise Maria da Silva  em abril 10th, 2011

Bom, antes de qualquer crítica ou acusação ao rapaz que cometeu tamanha barbárie devemos partir do princípio que se trata de uma pessoa totalmente atormentada psicologicamente(o que não justifica o ato cometido por ele). Portanto, penso que (logicamente minha opinião é de uma pessoa leiga)fatalmente ele seria encaminhado para algum manicômio judiciário após ser condenado por estes crimes hediondos.

Alexandre Simão da Silva  em abril 11th, 2011

Todos tem direito a defesa. Porém se ele não tivesse morrido, eu estaria torcento para que o jurí o condenasse ao mais alto grau de penalidade existente em nosso sistema jurídico.

Leandro  em abril 15th, 2011

defesa processual sim, defesa do ato praticado nao.

Deixar um comentário